O conceito de Ki

O significado etimológico do ideograma qi ("氣") na sua forma tradicional mais conhecida é uma imagem do “vapor (气) subindo do arroz (米) enquanto cozinha”. É frequentemente traduzido como "ar" ou "respiração", por exemplo, o termo chinês que significa "respiração" é tiānqì, ou a “respiração do céu”.
Concepções filosóficas do Ki são encontradas desde o início da história registrada do pensamento Oriental.
Referências ao Ki ou conceitos filosóficos semelhantes relativos a um tipo de energia metafísica que permeia e sustenta os seres vivos são encontradas em vários sistemas de crenças, presentes em culturas de todo o mundo, especialmente na Ásia.
Uma das mais importantes figuras da mitologia chinesa é Huang Di, ou o Imperador Amarelo. Ele é considerado um herói cultural que coletou e formalizou muito do que subseqüentemente se tornou conhecido como medicina tradicional chinesa. A compreensão do conceito de Chi Qi ou Ki é um fundamento desta forma de medicina tradicional.
Apesar do conceito de Ki ser muito importante em diversas filosofias orientais, sua descrição é variada e inclui aspectos conflitantes entre as diferentes versões. Algo natural considerando-se os milhares de anos, os diversos países e grupos sociais que participam da elaboração desta tradição.



Uma questão significativa é a de se o Ki existe como uma força separada da matéria, se o Ki surge a partir da matéria ou se a matéria surge do Ki.
Alguns budistas e taoístas são a favor do terceiro conceito, alguns budistas acreditam que a matéria é uma ilusão.
Os neoconfucionistas assumem outra posição: criticam a noção de que o Ki exista separado da matéria, acreditam que o Ki emerge das propriedades da mesma.
A maioria das teorias do Ki como uma metáfora das propriedades físicas fundamentais do universo foram sistematizadas e promulgadas nos últimos milhares de anos pelos neoconfucionistas e transmitidas com o apoio das dinastias chinesas.



Meridianos de energia Ki do corpo